Matilde Horta e Costa Raposo

Matilde Horta e Costa Raposo

A Matilde é a nossa Responsável Nacional. Tirou um curso de mergulho em plena pandemia e procura um(a) “buddy” para usufruir do curso nas suas férias de junho. Quem alinha? Curiosidade do mês: É a enfermeira mais nova do centro cirúrgico da Fundação Champalimaud, onde mete os doentes todos a ouvir bandas sonoras de filmes.

Querida Mãe

São 03:47h. Mas que dia! Bem… dias! Entre cuidar dos doentes no meu trabalho e cuidar do Teu Movimento os desafios são vários. Mas sou feliz. Sou mesmo! Poder servir o Pai é um privilégio, seja no meio de uma rotina mais ou menos agitada. Esta é a vida que me foi confiada. É o caminho sonhado para os meus passos. Às vezes parece-me existir um desleixo pelo “quotidiano”. Deixa-se para amanhã, planeia-se o futuro, vive-se para depois e não para o agora. AGORA! Neste segundo em que escrevo estas palavras, neste segundo em que alguém as lê, neste exato segundo tudo o que mais interessa neste mundo está a acontecer: Deus está presente. É completamente surreal perceber isto, que nunca estamos sozinhos, que o Extraordinário se manifesta no ordinário… Que graça gigantesca!

Gostava que todos os equipistas vivessem assim: com os pés assentes na terra e os olhos fixos no Céu. Que fossem fiéis à sua realidade, que valorizassem cada respiração, que se entregassem com alegria ao tempo que lhes foi dado a viver! Como me disseram noutro dia, «santos são os especialistas no quotidiano». Não é preciso grandes obras, é preciso amor nas obras. E precisamente naquelas que cada um recebe diariamente. Imagina de aqui a uns anos estarmos a assistir à canonização de equipistas… Era épico e tão possível! Ensina-nos, Mãe, a ser responsáveis pelo agora, pela nossa vida, pelo nosso país, pela nossa Igreja. A missão não pode ficar só numa semana, a urnas não podem ficar sem votos, as igrejas não podem ficar vazias, os compromissos no Movimento não podem ser esquecidos (as quotas são o sustento das nossas ações para chegar a todos os corações) e, acima de tudo, a rotina não pode perder o seu valor. Ele chama-nos pelo nome, exatamente onde estamos, exatamente como somos. Agora e sempre!

Depois de tudo passar, o que fica?

Maria e José já seguiram para o Egipto, os animais já voltaram a pastar, os pastores já caminham nos montes com as suas ovelhas, os magos já estão a chegar ao Oriente, o burro e a vaca já estão na

O presépio como nunca tinhas visto

O presépio como nunca tinhas visto foi o tema escolhido para a conferência de dia 15 de dezembro, com o Professor João César das Neves, no auditório de Santa Joana Princesa. Certamente um tema ambicioso para uma conferência, mas o

Retiro de Advento

No fim de semana de 2 a 4 de dezembro, realizou-se em Viseu o Retiro de Advento das EJNS, um pequeno encontro dinamizado pela Expansão Norte, com o objetivo de nos prepararmos para receber Jesus nos nossos corações, no Natal.